Enem: Proposta de Redação Terceirização do trabalho

Enem: Proposta de Redação Terceirização do trabalho
5 (100%) 1 vote

Enem: Proposta de Redação Terceirização do trabalho; tema que tem provocado muitas discussões em todas as esferas da sociedades brasileira.

A redação do Enem é um texto argumentativo-dissertativo; e exigirá que o candidato apresente bons argumentos para o problema levantado pela comissão organizadora.

Veja abaixo alguns textos que ajudarão a entender o que é a Terceirização do Trabalho

1- Consolidação das Leis Trabalhistas, CLT, aprovada pelo decreto de 1° maio de 1943, representou a reunião e sistematização da vasta legislação trabalhista produzida no país após a Revolução de 1930. Ela introduziu novos direitos e regulamentações trabalhistas até então inexistentes. Constitui um código de considerável abrangência, que trata minuciosamente da relação entre patrões e empregados e estabeleceu regras referentes a horários a serem cumpridos pelos trabalhadores, férias, descanso remunerado, condições de segurança e higiene dos locais de trabalho etc. A anotação dos contratos de trabalho deveria ser feita na carteira de trabalho, instituída em 1932 e reformulada quando da aprovação da CLT.

2-A Terceirização do Trabalho, processo pelo qual uma instituição contrata outra empresa para prestar um determinado serviço. Atualmente, no sistema capitalista em sua fase financeira; essa prática difundiu-se amplamente em todo o mundo; não sendo diferente no Brasil, onde cerca de 25% da mão de obra empregada é terceirizada.

3-Exemplos de terceirização mais comuns relacionam-se com a prestação de serviços específicos; tais como limpeza e segurança. Quando vamos ao banco, por exemplo, pode notar que os vigilantes não são empregados do próprio banco; mas de uma empresa especializada em segurança; o que também é bastante comum em edifícios comerciais, escolas, fábricas e outros segmentos.

4-Causas do aumento da terceirização no Brasil e no mundo têm relação direta com a diminuição dos custos com funcionários. Afinal, para as empresas, sai mais barato que parte de sua mão de obra seja contratada por terceiros; em vez de mantê-los sob a sua tutela; o que eleva os gastos com direitos trabalhistas e eventuais problemas de segurança do trabalho, como indenizações e outras questões.

5-Restrições à prática da terceirização do trabalho no Brasil: A principal delas é a proibição da terceirização para atividades-fim, sendo permitidas apenas as atividades-meio; ou seja, uma fábrica de doces, por exemplo, pode destinar serviços de limpeza, segurança e ordenamento para empresas terceirizadas; mas não pode fazer o mesmo para o intuito principal da empresa, que é a produção de doces industriais. Nesse caso, todos os funcionários que atuam na linha de produção devem estar legalmente vinculados à fábrica em questão; e não a uma outra empresa, com carteira assinada e todos os direitos correspondentes.

6-Projeto de Lei 4.302 de 1998 (PL 4.302/98), que foi enviado ao Congresso Nacional em 1998 pelo então Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, foi aprovado no último dia 22 de março de 2017. O texto aprova a terceirização irrestrita do trabalho e já havia sido aceito, com alterações, pelo Senado e aguardava desde 2002 para análise final dos deputados.

7- Aprovação da PL 4.302/98, os parlamentares brasileiros estão preocupados com a aprovação de uma matéria que possui quase 20 anos. Seria interessante se a aprovação impulsionasse a economia ou fizesse grandes investimentos em saúde ou educação. Pelo contrário, a aprovação da PL 4.302/98 mexe; e muito, nos direitos do trabalhador previstos na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

8- PEC da Terceirização do Trabalho, sobre a regulamentação da terceirização nas empresas, o efeito pode ser benéfico ao longo do tempo. O mercado de trabalho brasileiro é muito regulado, engessado, o que aumenta o custo das empresas e afeta a competitividade brasileira no exterior, refletindo no preço dos produtos. Em restaurantes, por exemplo, há picos de demanda pelo serviço e são necessárias mais pessoas para atender o público, e nesses casos  a terceirização pode dar flexibilidade, pois seria oneroso contratar pessoas por jornada integral com base nos picos de demanda. Isso dinamiza o mercado de trabalho, diminui custos e acaba beneficiando o consumidor. Num primeiro momento, pode haver uma precarização do mercado de trabalho, mas a ampliação da terceirização pode trazer novas oportunidades  para quem está desempregado. (Fonte http://jornal.usp.br/radio-usp/pec-da-terceirizacao-pode-diminuir-o-desemprego/ acesso 29/03/2017).

Após a a leitura dos textos e em seus conhecimentos; redija um texto argumentativo-dissertativo, na norma-padrão da língua portuguesa, sobre o tema:

Terceirização do Trabalho Brasileiro: Avanço ou Retrocesso?

Dicas Redação Enem

A redação é uma importante etapa do Enem; e o treino será uma das melhores estratégias para elaborar um bom texto.

A leitura e o treino serão importantes aliados para melhorar sua escrita; e sua argumentação para essa importante etapa do Enem.

A redação do Enem é um texto argumentativo-dissertativo; e exigirá que o candidato apresente bons argumentos para o problema levantado pela comissão organizadora.

Acesse o que é cobrado no Enem?

Como a Redação do Enem é corrigida?

Universidades portuguesas que utilizam o Enem para ingresso;

Notas do corte por área de conhecimento;

-Consulte a concorrência Sisu edição 2017;

Para que serve o Enem?

-Consulte possíveis temas para Redação do Enem.

Dicas de Estudos Enem e Vestibulares

Dicas para prova de Ciências da Natureza;

Desastre Ambiental da Barragem de Mariana;

Impactos Ambientais do rompimento da Barragem de Mariana;

Dicas de Química para a prova do Enem;

Dicas de matemática para a prova do Enem;

Questões sobre células-tronco já apareceram no Enem.

Conheça as Universidades e Institutos Federais de Educação que utilizam o Sisu para ingresso em seus diversos cursos.

Acesse outros vestibulares que estão disponíveis  em várias universidades, centros universitários e faculdades.

Sobre o Autor: Rosangela Quinelato Possui graduação em Letras – Português/Inglês pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ubá (1995), Pós-graduação em Literatura Brasileira pela FAFI-Ubá e Pós-graduação em Tecnologias da Aprendizagem pelo Senac. Desempenhou por 9 anos a função de Diretora Pedagógica da Universidade Presidente Antônio Carlos – campus II Ubá e da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Ubá. Desde 2015 atua como redatora para sites na área de Educação.

0 comments… add one

Leave a Comment