MEC divulga dados da correção da redação do Enem 2017

MEC divulga dados da correção da redação do Enem 2017
4 (80%) 2 votes

O Ministério da Educação divulgou dados da correção da redação do Enem 2017. O tema proposta foi “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”.

Os dados da correção da redação são referentes ao Enem 2017, que contou com a participação de mais de 4,7 milhões  de candidatos. Do total das redações corrigidas 6,5% receberam nota zero; ou seja, aproximadamente 309 mil dos textos.

Dados da correção da redação do Enem 2017

Abaixo os motivos para obtenção do zero na redação do Enem:

1-Fuga ao Tema

Dentre os motivos, destacou-se o aumento de redações que fugiram ao tema. Em 2016, 0,78% delas apresentaram o problema; na edição de 2017, esse número cresceu para 5,01%, um aumento de 6,4 vezes. Em 2017, foram corrigidas 1,3 milhão de redações a menos que a edição de 2016.

2-Redações com nota zero

Enquanto o número de redações com nota zero aumentou em 2016, 4,84% foram zeradas. O número de redações nota mil diminuiu em relação a 2016, quando 77 alcançaram a nota. Na edição de 2017, 53 redações alcançaram a nota máxima.

3-Redações em Branco

Além da fuga ao tema, 0,8% deixaram a prova em branco, 0,33% escreveram texto insuficiente, 0,17% das redações tinham parte desconectada, 0,11% não atenderam ao tipo textual, 0,09% era cópia do texto motivador e 0,03% zerou por outros motivos.

Média das Redações do Enem 2017

De acordo com o Mec a proficiência média das redações aumentou. Na edição de 2017, a nota média foi 558, ante 541 de 2016. “Aumentou então substancialmente a nota da redação, de 541 para 558 a média.

A correção da redação realizada pelos avaliadores estará disponível aos candidatos a partir desta sexta (19) na página do participante.

Enem 2017: Notas por área de conhecimento

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
Proficiência Mínima – 299,6
Proficiência Máxima – 788,8
Proficiência Média Geral – 510,2
Proficiência Média Concluintes – 506,5
Proficiência Média Egressos – 513,84
Proficiência Média Treineiros – 516,86
Proficiência Média dos Participantes Privados de Liberdade – 427,4

Redação
Redações Nota Zero – 309.157
Redações Nota Mil – 53
Proficiência Média Geral – 558,0
Proficiência Média Concluintes – 560,6
Proficiência Média Egressos – 556,9
Proficiência Média Treineiros – 570,6
Proficiência Média Participantes Privados de Liberdade – 423,0
Apenas 6,5% das redações receberam nota zero. Os motivos foram fuga ao tema (5,01%), prova em branco (0,80%), texto insuficiente (0,33%), parte desconectada (0,17%), não atendimento ao tipo textual (0,11%), cópia do texto motivador (0,09%) e outros motivos (0,03%).

Ciências Humanas e suas Tecnologias

Proficiência Mínima – 307,7
Proficiência Máxima – 868,3
Proficiência Média Geral – 519,3
Proficiência Média Concluintes – 517,4
Proficiência Média Egressos – 522,24
Proficiência Média Treineiros – 526,68
Proficiência Média Participantes Privados de Liberdade – 433,7
Matemática e suas Tecnologias
Proficiência Mínima – 310,4
Proficiência Máxima – 993,9
Proficiência Média Geral – 518,5
Proficiência Média Concluintes – 522,3
Proficiência Média Egressos – 516,62
Proficiência Média Treineiros – 538,77
Proficiência Média Participantes Privados de Liberdade – 447,4

Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Proficiência Mínima – 298,0
Proficiência Máxima – 885,6
Proficiência Média Geral – 510,6
Proficiência Média Concluintes – 508,4
Proficiência Média Egressos – 512,48
Proficiência Média Treineiros – 519,36
Proficiência Média Participantes Privados de Liberdade – 436,9.

Fonte: Ministério da Educação

Sobre o Autor: Rosangela Quinelato Possui graduação em Letras – Português/Inglês pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ubá (1995), Pós-graduação em Literatura Brasileira pela FAFI-Ubá e Pós-graduação em Tecnologias da Aprendizagem pelo Senac. Desempenhou por 9 anos a função de Diretora Pedagógica da Universidade Presidente Antônio Carlos – campus II Ubá e da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Ubá. Desde 2015 atua como redatora para sites na área de Educação.

0 comments… add one

Leave a Comment